O grito dos excluídos foi realizado em todas as dioceses do Brasil e foram organizados pelas pastorais sociais e organismos da sociedade numa caminhada ecumência por diversas experiências sociais. Muitas lideraças levaram cartazes e faixas denunciando as diversas desordes e desreipeitos são encontrados no mundo.

Aqui na Diocese de Macapá, esta manifestação foi enriquecida com a participação das diversas pastorais sociais em um espírito de harmonia e cordialidade entre os participantes da mesma.

A vigésima segunda edição do Grito dos Excluídos trouxe a seguinte temática: Vida em primeiro lugar , este sistema é insuportável: excluí, degrada, mata!. Neste ano a proposta da caminhada  do grito foi de um percurso de 2 km, saiu da Igreja Santíssima Trindade no bairro Nova Esperança, percorrendo várias ruas do bairro Novo Buritizal com chegada na Igreja Cristo Redentor.